Riqueza sem fim, pedaço de mim.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011


Mãe de uma high need autêntica

O que é um high need baby? Bom, ninguém sabe realmente até ter um. High need baby é um bebê de alta necessidade, não significa que o bebê tenha retardo não! Apenas, é um bebê intenso na forma de manifestar suas necessidades e sentimentos.
Quando minha pequena nasceu logo vi que ela não era igual aos outros bebês, enquanto o bebê das outras mulheres ali comigo mamavam e dormiam a minha fazia questão de marcar presença .. rs chorava e exigia um colinho andante, sim com apenas 2 dias de vida ja queria passeio o que ficou por conta de minha mãe, pois no momento estava um pouco impossibilitada de andar.
Para minha pequena so estava bom se estivesse no colo e no peito, sem falar das vezes que ela chorava desesperada mesmo depois de esgotarmos todas as opções de consolâ-la. Foi quando começaram os pitacos de estava acostumando minha bebê mal que dar colo demais não é bom, que ela poderia estar com fome e por ai vai ... Eu mãe de primeira viagem fiquei totalmente confusa, exitei ao máximo deixa-la dormir comigo, virei noites sentada no sofá com ela no colo, cheguei a cogitar dar formula para minha filha. Mas a intuição de mãe falou mais alto ignorei tudo que ja tinha ouvido e lido sobre bebês e comecei a agir por instinto: dei colo, dormi com ela do meu ladinho mamando em livre demanda e fiz o tudo que chamam de "mimar o bebê" detesto esse termo. Até que um dia pesquisando sobre o sono de bebês na internet descobri a comunidade sobre o livro Soluções para noites sem choro  quando li o texto do Dr Sears que a Andreia postou, senti um misto de alivio e alegria, pois ler aquilo só confirmou meu sentimento e pude entender melhor minha filha. 
Minha bebê exige mais atenção é colinho onstop, durante o dia so dorme no meu colo, de noite dorme comigo, não aceita berço ou carrinho por muito tempo  e muito menos ficar sozinha. Passo praticamente o dia todo com ela no colo revezando com as titias, vovó e vovô e o papai, ela não aceita colo de estranhos.Mas tem seu lado positivo também.

Encontrei traduzido no blog Nave Mamãe as 12 características de high need, no qual minha pequena se enquadra muito bem em todas. rs

O texto apresenta 12 características dos bebês com altas necessidades, frisando que nenhuma característica é negativa, são apenas descritivas.

Explica que o bebê high need é diferente desde a gestação, sendo um exímio chutador. 
1- Intensos

Eles choram alto, mamam vorazmente, gargalham com gosto e protestam com força.

Ele diz que bebês intensos viram crianças intensas que exploram e experimentam com tudo. Já sabemos disso por aqui com um bebê, imaginem quando este bebê for uma criança...

2 - Hiperativos

Hiperatividade como descrição e não como doença. Precisa de mais explicações? Eles parecem sempre ligados no 220V!

3 - "Drenadores"

Dr. Sears sugere que sifão seja mais acurado que dreno, pois as mães transferem suas energias para o bebê e também que uma atitude mais positiva seja melhor: ao invés de pensar em dias de esgotamento, pensar em dias de doação (numa tradução beeeem livre).

E completa com uma frase que dificilmente uma mãe de high need discordará: a necessidade aparentemente constante de colo, seio e conforto faz com que sobre pouca energia para a mãe.

E é arrebatador ao dizer:

"Haverão dias de colo incessante e sem pausas. Mas quando você sente que não consegue lidar com outro dia de doação, você toma fôlego e de repente consegue relaxar e aproveitar a personalidade única de seu bebê florecer. É como se o bebê sentisse o limite da mãe e recuasse um pouco. É provável que não existam dias de folga, mas alguns dias serão menos difíceis que outros."

4 - Mamam frequentemente

"Você vai aprender rapidamente que a amamentação não é somente uma fonte de nutrição, mas uma ferramenta de conforto".

As necessidades do bebê irão se intensificar durante os dias de altas necessidades e vão gravitar entre a chupeta favorita e a pessoa favorita, o que, no caso de um bebê amamentado no seio, são a mesma coisa.

"Você vai se sentir uma chupeta humana, porque você é".

Em inglês, chupeta é "pacifier", que significa "o que dá paz". Então, no final das contas, não é ruim ser aquela que traz a paz pro bebê. Eu não acho, ao menos.


5 - Demandantes

Eles não gostam de esperar e não aceitam alternativas.

Porém se ele sente que pode confiar nos cuidados dos pais, que eles vão atendê-lo, ele passa a fazer suas exigências de um modo mais socialmente aceitável.
O Dr. Sears comenta que esta será uma pessoa determinada, que luta pelos seus direitos, um líder. Diz ainda que é uma característica que os leva ao êxito e ao sucesso, pois eles levarão também os professores à exaustão, extraindo deles a ajuda e a educação de que precisam. É uma valiosa ferramenta de sucesso na vida.

Aos pais cabe a missão de ensiná-los a balancear suas necessidades e às dos outros.

6. Acordam frequentemente

 Fala por si só.

7 - Insatisfeito

"Não estar apto a satisfazer as necessidades do bebê é muito frustrante para os pais de um bebê de altas necessidades. Parece um ataque direto em suas habilidades. Afinal, um bebê contente não é a marca de uma maternidade efetiva? Errado! Haverão dias que você irá amamentar, embalar, caminhar, dirigir, vestir e tentar todas as técnicas de conforto conhecidas pelo homem ou mulher e nada irá funcionar. Não leve isso como sinal de fracasso. Você faz o melhor que pode e o resto é com o bebê. Você não falhou como mãe até mesmo se seu bebê é triste o tempo todo. Isso é simplesmente parte da personalidade dele. Enquanto isso, continue experimentando uma ferramenta de conforto após a outra, e você vai eventualmente descobrir uma que funcione - ao menos naquele dia. Então você se sentirá um gênio. Mantenha seu chapéu de detetive para achar pistas do disconforto do bebê. Constante experimentação e erro é como você irá construir suas habilidades para acalmar bebê."

8 - Imprevisível

"É frustrante descobrir que o que funcionava ontem não funciona hoje."

"Embalar, caminhar, usar sling, cantar canções de ninar, posição do ventre, de bruços, de lado, cadeirinhas, chupetas, inclinar o colchão da cama, trazê-lo pra cama, aconchegá-lo no peito ou no peito nú, banhá-lo antes da hora de dormir, garrafas de água quente enroladas em pele falsa de animal (oi?), deixá-lo acordado até a meia noite antes de começar os procedimentos para dormir, começar logo após o jantar, deixar chorar, não deixar chorar, nada pareceu funcionar. Algumas dessas coisas funcionaram por um tempo, nada funcionou o tempo todo. Isso é bastante frustrante e fará você pensar constantemente o que está fazendo de errado."

Além disso eles têm mudanças extremas de humor: quando estão felizes são os bebês mais felizes do mundo, quando estão bravos são os piores bebês do mundo.

9 - Super-sensíveis

Estão sempre alertas com o que está acontecendo no ambiente, sendo facilmente superestimulados ou se entediando rapidamente. Eles preferem ambientes seguros e conhecidos.

Enquanto a rotina da casa pode continuar normal com a maior parte dos bebês, com os sensíveis, o menor ruído os acorda.

Eles não aceitam cuidadores substitutos com facilidade.

"Essa sensibilidade acurada ao ambiente se torna uma recompensa quando eles crescem. Essa criança está sintonizada com o que acontece a sua volta. Eles não são crianças distantes. Essa aguçada consciência estimula sua curiosidade que, por sua vez, estimula o aprendizado. Eles se tornam crianças que se importam. Eles se incomodam com o machucado de outra criança. Desenvolvem empatia, qualidade em falta em muitos adolescentes e adultos hoje em dia. Porque essas crianças são tão sensíveis, eles desenvolvem um ótimo discernimento e são capazes de considerar os efeitos de seu comportamento nos sentimentos dos outros. São capazes de alcançar a última qualidade de auto-controle: a habilidade de pensar no que estão fazendo."

10 - "Não dá pra tirá-lo do colo"

Eles querem contato pele com pele, colo, peito e cama. Eles extraem todo contato físico que podem de seus cuidadores. Às vezes colo não é suficiente e eles querem um colinho-andante.

"Esse colo constante pode ser particularmente difícil para pais de primeira viagem que esperam ter um bebê modelo de revista, aquele que fica tranquilo em seu berço admirando o caro móbile."

Para esse bebê os braços e os corpos dos pais são seu berço, o seio da mãe é a chupeta e o colo embalado é a cadeira!

Eles são sensíveis ao ânimo do carregador, que deve estar calmo e relaxado e preferem ser carregados com cuidado e sem superestimulação.


11 - Não se acalmam sozinhos

"Outra expectativa não realista de pais de primeira viagem é que esse bebê se acalme pra dormir com a ajuda de uma chupeta, uma caixa de música ou qualquer instrumento pra acalmar bebês. Eles são mais espertos do que isso. Eles querem interagir com pessoas e não com coisas."

"Eles precisam de ajuda para dormir. Precisam aprender a confiar na ajuda dos pais. Isso vai ajudá-los a relaxar por si próprios, uma lição que tem valor para vida. Chorar sozinho até dormir não é um bom meio de relaxamento. O melhor caminho para o bebê aprender a relaxar é ter o comportamento moldado pelo pai. Uma vez que ele aprenda a relaxar por si só, ele não terá problema em dormir sozinho quando estiver cansado."

Acho que ele quer se referir aos rituais pra dormir, porque "comportamento moldado" não é bem a praia desses bebês, que sabem muito bem o que querem!

"Querer pessoas ao invés de coisas, como chupetas, pode ser cansativo no início, mas irá trabalhar a favor da criança. Ela terá uma melhor compreensão sobre os relacionamentos interpessoais, especialmente se sentindo confortável com a qualidade da intimidade."


12 - Sensíveis à separação

A música "Only you" - somente você - pode ser o tema da maioria desses bebês. Eles não aceitam cuidadores substitutos e demoram a se afeiçoar a estranhos.

O texto em inglês traz o relato de uma mãe cuja filha nenhuma babysitter queria cuidar pela reputação de gritona que ela tinha. Fiquei imaginando se Lorenzo precisasse ficar em creche.

Dr. Sears comenta que, pra um bebê, ele e a mãe são uma só pessoa e ele sabe que precisa dela pra ser completo. Que "ansiedade pela separação" é um termo adulto que reflete as nossas expectativas de como queremos que um bebê aja para nossa conveniência, não como bebês realmente são ou o que eles realmente precisam.

"Ele é bastante seletivo em relação a seus cuidadores e isso demonstra um discernimento bastante desenvolvido. Eles sabem qual situação e em quais pessoas podem confiar para atender suas necessidades, e protestam se suas expectativas não são atendidas. Protestos barulhentos pela separação também revelam que esses bebês têm capacidade de formar laços profundos - se eles não se importassem tão profundamente, não protestariam tão alto pela separação. Essa capacidade é precursora da intimidade nas relações adultas."

Eventualmente o círculo de confiança vai crescer para incluir outras pessoas além da mãe. Eles estarão prontos pra ficar com outras pessoas aos 3 anos e meio ou antes se tiver fortes laços com a pessoa (pai, irmão, amigo íntimo da mãe, avós)

 Reitirado: Blog Nave Mamãe


Quis muito compartilhar, pois penso em quantas mamães de high need baby gostaria de ler isto.

6

6 comentários:

"Maria Heloisa" disse...

amei o poste e me identifiquei pois o meu também é assim Renan me deixa cansada ele dormi as 1 da madrugada e sempre aletar um amor khakhakh...beijinhos ☺

Minha Filha Minha Vida disse...

quanta coisa que eu nem imaginava !!! post super importante !!!!

amiguinha super beijo e tenha um timo final de semana !!!

Roberta disse...

Adorei a postagem sua filha é linda.
bjs

http://joaopedropc.blogspot.com/

Morena Linda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vanessa Souza disse...

Adorei...é meu filho todinho rsrsrsrs
Seguindo o blog

Angelica Barbosa disse...

Noooosa é a Giovana inteirinha do começo ao fim!!
Adorei !! To conformada com o meu destino agora !!

Postar um comentário

Obrigada por participar do meu mundinho. Volte Sempre.

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t